Grupos indígenas da Amazônia têm uma das menores taxas de demência do mundo

Os Tsimanis são famoso por terem o coração mais saudável do planeta, com os menores índices de aterosclerose nas coronárias. Agora, temos evidências de que o cérebro deles também deverá subir ao podium dos mais saudáveis do mundo.


Um novo estudo mostra que a inspiração nos hábitos de indígenas da Amazônia Boliviana (grupos Tsimane e Moseten) tem muito a colaborar no controle da avalanche de diagnósticos de demência mundo afora. Apenas 1% dos indígenas com idades acima de 60 anos apresentavam diagnóstico de demência comparados aos 11% encontrados no mundo industrializado. E não é qualquer grupo de indígena que tem esses resultados. Há pesquisas que indicam até 20% de prevalência de demência. O presente estudo foi publicado recentemente no periódico Alzheimer’s & Dementia: The Journal of the Alzheimer’s Association.                                                                                                       

O estilo de vida de subsistência pré-industrial é o maior candidato para explicar a proteção que esses grupos têm contra o desenvolvimento de demência. Os resultados também apontaram que, no grupo etário estudado, 10% apresentavam declínio cognitivo leve, número semelhante ao encontrado nas sociedades industriais. Essa condição é reconhecida como uma dificuldade cognitiva que não interfere substancialmente nas atividades de vida diárias, mas que a cada ano, em 10% dos casos, podem evoluir para um quadro de demência.

O estilo de vida dos Tsimanis e menor prevalência de fatores de risco vascular já foram apontados por uma publicação do The Lancet mostrando que eles têm um coração extremamente saudável com os menores índices de aterosclerose de qualquer população conhecida no mundo. Já foi demostrado também que o cérebro deles, entre a meia-idade e a velhice, têm uma redução de volume 70% menor do que o de europeus e americanos.

Esse estilo de vida pós-industrial é algo pra lá de recente na história da humanidade. Em 99% do tempo de sua existência, o Homo sapiens foi fisicamente ativo, tiveram uma dieta rica em fibras e gorduras saudáveis e uma atmosfera limpa.

 

Confira o áudio da coluna Cuca Legal, uma parceria do ICB com a Rádio CBN Brasília: